Redução de mama  


Higiene
O banho deve ser com soapex apenas nas primeiras 48 horas. Nos dois primeiros dias, não molhar o local da cirurgia. No terceiro dia, tomar banho por completo e depois fazer o curativo. Nos três primeiros banhos, a paciente deve ser ajudada. Depois, deve procurar fazê-lo sozinha. O paciente pode raspar as axilas normalmente. Evitar a depilação por 30 dias. O sutiã deve ser usado por 30 dias sem interrupção (até para dormir), pois ajuda a sustentar a mama, evitando a dor e também serve para ajudar que a pele se acomode ao novo formato.

Alimentação
Devemos evitar doces e comidas calóricas para não ganhar peso desnecessário. Na fase de recuperação, devido ao repouso de atividades físicas, o paciente fica mais propenso a ganhar peso. Evitar também comidas condimentadas em excesso, para não prejudicar absorção dos antibióticos e anti-inflamatórios. Refrigerantes e bebidas alcoólicas devem ser evitados na primeira semana.

Hábitos
1. Cigarro: deve ser evitado por 30 dias, pois interfere na cicatrização (causa vasoconstrição, diminuindo o fluxo sanguíneo na área operada, o que atrapalha a cicatrização).
2. Dirigir: a partir de 30 dias, iniciar vagarosamente.
3. Dormir: a paciente pode deitar de lado após o sétimo dia. Antes, porém, deve deitar de barriga para cima para evitar apoiar sobre a área operada.

Sutiã
O sutiã ajuda a sustentar as mamas evitando forçar os pontos. Só deve ser retirado na hora do banho. Após 30 dias pode ser usado o sutiã comum, antes desse prazo, usar o sutiã especial. Usar roupa sem sutiã somente após três meses.

Atividades esportivas
Caminhada a partir do 15° dia em horário de pouco sol. Musculação é um tipo de atividade física onde se pode exercitar grupos musculares específicos e por isso pode ser iniciado já no 15° dia (iniciar coxas, glúteos e panturrilha). Iniciar com exercícios de braço com 30 dias, sem elevá-los muito acima do nível dos ombros. Exercícios com musculatura peitoral e das costas a partir de três meses. Hidroginástica e ginástica aeróbica a partir de dois meses.

Drenagem linfática
Deve ser iniciada no terceiro dia de pós-operatório. Inicialmente orientamos para que sejam feitas dez sessões em dias alternados ou diariamente dependendo da disponibilidade de tempo do paciente.

Exposição ao sol
Só deve ser iniciado após a absorção de todas as "equimoses" devido ao risco de manchar a pele. Geralmente a exposição ao sol inicia se no 30º dia de pós-operatório, porém deve ser iniciado de maneira lenta e gradativa (aumentando o tempo aos poucos).

Atenção: NUNCA usar bolsa de água morna. Apesar de dolorida, a região operada não tem boa sensibilidade. A bolsa de água morna pode causar queimaduras gravíssimas.

Edema (inchaço)
Após a plástica, a região operada permanece edemaciada (inchada) por seis meses.

O edema começa a regredir após 30 dias. A drenagem linfática no pós-operatório diminui o tempo de recuperação.

Cicatriz
Toda cicatrização demora em torno de 12 a 18 meses para chegar ao resultado final. Assim, é comum que por três a seis meses a cicatriz permaneça de coloração avermelhada e o seu clareamento seja lento e progressivo. A massagem manual, feita diariamente pela própria paciente, ajuda a abreviar o período de recuperação.

Sensibilidade
Normalmente a sensibilidade pode estar diminuída por três meses e depois, geralmente, retorna ao normal. O retorno da sensibilidade pode durar até um ano. Pode ocorrer perda de sensibilidade parcial ou total, é raro, mas pode acontecer. O retorno ao normal de sensibilidade dependerá da reação do organismo de cada paciente.

  • Procedimentos pós-cirurgia
1. Não paralisar totalmente os movimentos dos ombros. É necessária a limitação dos movimentos, porém não exagerar nas limitações.
2. Fazer movimentos com os braços, porém lentamente e não elevar os cotovelos acima do nível do ombro por 30 dias.
3. Movimentos que devem ser encorajados: fazer tricô, usar o computador, escrever, abrir gavetas, dobrar roupas, etc.
4. Pacientes que paralisam os braços, fazendo um repouso em excesso, podem apresentar dores nos ombros e dor mais intensa na cirurgia.
5. A falta dos movimentos causa uma contratura na musculatura peitoral e, muitas vezes, pode ser necessário fisioterapia para recuperação.
6. Pacientes podem pentear os cabelos, escovar os dentes e trocar de roupa.
7. Deitar de barriga para cima na primeira semana e depois do sétimo dia deitar de lado.
8. Procurar colocar os braços para baixo não contraindo a musculatura. Deixar os braços bem relaxados e andar normalmente.

Obs: De acordo com a Resolução Federal de Medicina nº 1.701/2003 é vedado ao médico expor figura de paciente ainda que com autorização expressa do mesmo.

 
Tel: 27 3325.0784
Fax: 27 3227.7744
Rua Celso Calmon, 206
Praia do Canto - Vitória - ES